Proyectos

Projeto Amazonas

21 de Mayo, 2018 Impresión
Projeto Amazonas

O Projeto Amazonas: Ação Regional na Área de Recursos Hídricos foi criado em 2012, no contexto da Cooperação Sul-Sul para fortalecer a gestão dos recursos hídricos, promover a integração e a cooperação técnica entre os países. Além disso, esta articulação institucional procura uma maior nivelação nas capacidades instaladas das entidades envolvidas com os recursos hídricos amazônicos.

O projeto é executado pela Agência Nacional de Águas (ANA/Brasil) e pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE) e executado pela OTCA, junto com as Agências Nacionais de Água dos Países Membros.

Segunda fase 

Depois de quase cinco anos de implementação do projeto, foi apontada, tanto pelas instituições participantes quanto pelos países amazônicos, a importância da continuidade de ações de cooperação internacional entre esses países por meio de uma segunda fase do Projeto Amazonas, que atualmente vem sendo executada. 

A proposição da continuidade dessa ação regional visa manter, entre as instituições responsáveis pela gestão de recursos hídricos nos países amazônicos, ações articuladas de cooperação técnica para a gestão integrada, incluindo a implementação de uma rede regional de monitoramento hidrometeorológico e a formulação de estratégias para conformação de uma rede regional de monitoramento de qualidade de água. 

Além disso, propõe-se a estruturação de um sistema regional de informações sobre mudanças climáticas e recursos hídricos da região amazônica, que compile e disponibilize dados hidrometeorológicos, estudos e informações sobre mudanças climáticas e experiências exitosas em regiões transfronteiriças de todos os países membros da OTCA.

Objetivos do projeto

  • Intercâmbio de sistemas de informação para o efetivo monitoramento dos recursos hídricos na bacia amazônica; 
  • Capacitação de técnicos e especialistas das instituições dos países amazônicos envolvidos com a gestão de recursos hídricos, especialmente no que se refere a informações hidrológicas e eventos extremos; e 
  • Apoio para a estruturação de uma rede regional de monitoramento que viabilize o intercâmbio de informações hidrológicas, hidrometeorológicas, sedimentométricas e de qualidade das águas, além daquelas referentes a eventos hidrológicos extremos.

RESULTADOS E IMPACTOS

Resultados alcançados na primeira fase
Um resultado relevante a ser abordado, e que requereu um esforço concentrado dos países, diz respeito ao avanço na integração e disponibilização de dados hidrometeorológicos e de qualidade da água para a Região Amazônica, visando a implementação de um Sistema Regional de Informações Hidrometeorológicas, para o efetivo monitoramento dos recursos hídricos. 

Trata-se da Iniciativa do Projeto Piloto da Rede Regional de Monitoramento Hidrometeorológico da Bacia Amazônica. A Iniciativa consistiu na aquisição e instalação de 6 estações telemétricas de monitoramento, em um trabalho conjunto da ANA com os países Bolívia, Colômbia e Peru, além da participação dos demais países amazônicos, com a finalidade de avaliar a tecnologia utilizada, as dificuldades quanto a instalação, operação e manutenção, e assim, estabelecer um precedente para a implementação da Rede Regional de Monitoramento, formada por 73 pontos. 

A implementação desta iniciativa incluiu a realização de missões e encontros técnicos que possibilitaram a troca de conhecimentos sobre o funcionamento das redes hidrometeorológicas dos países, sobre as rotinas de operação e manutenção, e sobre os protocolos de armazenamento, disponibilização e divulgação dos dados dos sistemas de informação de cada país. 

A Iniciativa Piloto também contemplou a aquisição de seis conjuntos de equipamentos hidrometeorológicos como ponto de partida e testes para a implantação da possível futura rede regional de monitoramento.
Visando, também, avançar no desenvolvimento de um Sistema Regional de Informações Hidrometeorológicas, foram iniciadas as discussões, com a participação dos países, das ações necessárias para o desenho e a implementação do sistema que contemplam, entre outras atividades/temas, o desenvolvimento de um sistema comum de protocolos de transmissão, armazenamento e acesso aos dados, incluindo a compra de novos equipamentos com o apoio do Projeto, além da integração de estações existentes nos países, localizadas em pontos considerados estratégicos para o monitoramento regional da Bacia. 

Com vistas ao fortalecimento da capacidade de cooperação entre os países, foram promovidas ações de capacitação, missões e encontros técnicos que trataram dos mais diversos temas relacionados aos recursos hídricos e promoveram ainda a integração e a aproximação entre os especialistas e o interesse pelo conhecimento das realidades locais e das soluções encontradas para o enfrentamento de problemas semelhantes.

Resultados esperados na segunda fase
Os principais resultados esperados desta iniciativa regional de cooperação técnica podem ser assim sumarizados:
  • Dados e informações para a gestão integrada dos recursos hídricos analisados, sistematizados e disponibilizados; 
  • Disseminação de conhecimento sobre a realidade amazônica promovida; 
  • Capacidade técnica das instituições responsáveis pela gestão dos recursos hídrico dos países aperfeiçoada; e 
  • Projeto monitorado, avaliado e divulgado.

SOCIOS ESTRATéGICOS




Otros Proyectos